Plantar ou proteger: o que é mais urgente?

Plantar ou proteger?
As alternativas que podem garantir de forma eficaz para a melhora na saúde do nosso planeta.

O debate sobre a saúde do nosso planeta não é novidade para ninguém, afinal, a constante mudança climática já é um resultado do aquecimento global e tem afetado o cotidiano de todos nós. Mas há um fator que pode explicar o porquê disso acontecer com tanta frequência? 

Não podemos deixar de falar sobre a importância das plantas que são fundamentais para a vida na Terra. São elas que geram oxigênio, alimento, fibras, combustíveis e remédios. São elas também que trabalham para o controle da temperatura, no equilíbrio e na dinâmica da água no planeta. 

A Amazônia tem sofrido com o desmatamento desenfreado e isso é uma das causas que pode explicar um pouco sobre esses resultados não tão positivos para o nosso planeta, tendo o aquecimento global como um deles. Ter a consciência de que a saúde do meio ambiente está relacionada a nossa saúde é um dos pontos chaves para que possamos pensar em alternativas que sejam eficazes para mudar o que acontece agora. 

Uma dessas alternativas seria pensar nas formas que podemos combater o desmatamento. Poderíamos nós plantar uma determinada quantidade de plantas para contribuir na redução das áreas desmatadas ou seria melhor investirmos em ideias que vão trabalhar na proteção dessas áreas? 

Afinal, plantar ou proteger?

Certamente você deve estar se perguntando “plantar ou proteger? Qual a opção mais eficaz para o mundo?”. Ter o start de pensar numa forma para mudar o que acontece neste exato momento é muito positivo.

É de extrema importância entendermos que não há uma alternativa certa ou errada, mas existe a possibilidade de pensarmos em alternativas que poderão corresponder a ideias mais abrangentes “macro”, e que poderão contribuir ainda mais na redução desses impactos.

Pela lógica, quando você planta uma determinada espécie você até pode estar fazendo algo de positivo para a saúde do nosso planeta, mas o fato de você plantar em uma área sob seu controle, a sua contribuição acaba não sendo tão expressiva para as outras formas de vidas que estarão neste espaço. Ou seja, neste determinado contexto podemos dizer que plantar, seria uma atitude de pensamento “micro”, porque não há diversidade. 

Em contrapartida temos a alternativa de um pensamento “macro”, mais abrangente, temos a possibilidade de cuidar de uma determinada área, que tem como resultado principal a preservação da biodiversidade deste espaço.

A biodiversidade pode ser considerada através das diversidade de espécies, que é a riqueza de espécies existentes, diversidade genética que é a diversidade de genes entre os indivíduos de uma espécie e a diversidade de ecossistemas que é a diversidade de ecossistemas nos quais as comunidades biológicas habitam e interagem.

O debate sobre como podemos colaborar para a melhora da saúde do planeta é urgente, assim como ter a consciência sobre o nosso impacto social no mundo, o nosso consumo e a as ações feitas por nós. O mundo precisa da nossa ajuda e do nosso cuidado, só que agora.

amazonia, sustentabilidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *