FAQ: CARBONO E A MOSS.EARTH

CRÉDITO DE CARBONO EM SI

P: Um crédito de carbono é um ativo que não expira?

R: O que negociamos, que é um crédito de carbono voluntário, não expira.

P: Se eu compro, por exemplo, 1 crédito de carbono, ele equivale exatamente a que? Uma área preservada na Amazônia? Sobre quais condições e por quanto tempo? O que valida a longevidade de um crédito de carbono? O que acontece se a mata protegida de onde vem meu crédito sofrer um incêndio por exemplo?

R: O crédito de carbono é um ativo intangível, tipo uma marca ou milhagem, ele não corresponde a um ativo real (árvores ou área preservada), mas sim um certificado que comprova que uma AÇÃO de conservação foi feita e auditada. Tipo um selo digital que comprove que você estudou Jornalismo ou Medicina —  é um conceito, não é um ativo material. 

As áreas são preservadas anualmente, cada selo corresponde a um ano específico, são projetos de 30 anos. A perenidade do crédito é garantida pela auditoria (um ato do passado não pode ser mudado no futuro, nem no Brasil isso acontece —  e por um “ Fundo garantidor de crédito de carbono” global, que funciona como um seguro, e exige depósito de 30% de tudo que é gerado globalmente num ano para servir como garantia dos créditos existentes. 

Se a mata queimar, o dono do projeto deixa de certificar créditos futuramente, por isso fica super alinhado, e os créditos existentes são substituídos e garantidos pelos créditos do Fundo de Garantia (“Buffer”).

P: Me ajudem a validar se esta lógica está certa: Se uma empresa quiser neutralizar sua emissão de CO2, quando gastamos esse valor ele só garante um “certificado de empresa limpa” por 1 ano, ai no ano seguinte eu teria que comprar novos créditos para manter a minha empresa “limpa”. Mas os créditos que eu já comprei ficam para a Empresa como um ativo, certo? E se em 2022 eu vender esses créditos que comprei para neutralizar o ano de 2020 e 2021. O que acontece? Minha empresa meio que viveu uma mentira porque neutralizei minha emissão e depois revendo essa neutralização para outra pessoa?

R: Não, a empresa tem que dar baixa e sofrer a perda econômica dos créditos para compensar. NÃO BASTA COMPRÁ-LOS —  pensa num vinho, se você comprar você pode segurar o vinho pra sempre em sua adega. Compensar = beber o vinho e esvaziar a garrafa, ele deixa de existir, assim como o crédito.

PLATAFORMA 

P: Mexi um pouco na plataforma de vocês e me vieram uma série de dúvidas também. Eu consigo comprar créditos de carbono fora da plataforma e trazer essa minha compra pra dentro?

R:Sim, em exchanges, como FlowBTC e Mercado Bitcoin, e brevemente em várias exchanges globais.

P: Eu consigo vender os meus créditos obtidos dentro da plataforma MOSS para um cliente fora da plataforma?

R: Eventualmente, em breve, ainda não temos essa função.

P: Vamos supor que eu conhecesse alguém que tem uma área preservada e quisesse trazer ele para dentro da plataforma, é possível? Como faríamos?

R: Sim, a MOSS compraria os créditos da área, que tem que estar certificada. A MOSS não faz a certificação, apenas compramos tudo já certificado.

P:Não cheguei a executar a compra na plataforma, mas fui até os últimos passos para entender mais ou menos como funciona, algumas dúvidas me vieram à mente: Porque não posso comprar menos de 10 créditos? 

R: Porque o custo de compensação e registro de um único crédito ou menos de 10 é proibitivamente caro no registro global.

P: Vamos supor que eu tenha comprado lá o crédito que está por 95 reais agora, como eu faço para revendê-lo?

R: Caso você tenha interesse em vender seus ativos, essa operação pode ser feita de forma independente, pelos próprios usuários nas exchanges, como FlowBTC e Mercado Bitcoin.

P:O que regula o valor do crédito dentro da plataforma?

R: O valor é determinado de forma independente pelos que transacionam neste mercado e não é determinado e nem sofre interferência direta ou indireta da MOSS.

OUTRAS DÚVIDAS

P: Qual a menor fração do crédito de carbono que poderemos trabalhar?

R: Como os créditos de carbono  estão tokenizados, podemos ir até 6 casas depois da vírgula, ou seja, 0,000001 crédito.

P: Vimos que existem valores distintos dos créditos para cada projeto sócio ambiental. Quando o usuário for compensar a pegada escolhendo o projeto que deseja ajudar, ele terá acesso ao valor daquele crédito no dia certo?

R: Não, os créditos no Mercado voluntário são 100% fungíveis.

P: Tanto os usuários pessoas físicas quanto jurídicas que participarem do projeto, receberão um “recibo” oficial da compra/venda dos créditos e tudo mais. Este certificado terá os dados da MOSS, certo? Compra com cartão será internacional?

R: Sim e sim.

P: Os processos da MOSS utilizam blockchain?

R: Sim, todos os processos da MOSS utilizam blockchain.

P: Na parte fiscal, como ficam os recibos e movimentações financeiras de compra e venda dos créditos tanto dos usuários quanto as nossas? Quanto ao fisco como ficam os impostos?

R: Não há pagamento de impostos. Há somente pagamento de impostos de ganho de capital de 15% sobre o ganho no caso de compras e vendas dentro de um mesmo mês acima de R$ 35 mil.

P: A MOSS tem sua matriz no Uruguai, o nosso contrato/acordo será internacional?

R: Não, contrato no Brasil, temos subsidiária integral no Brasil, a Moss Servicos Ambientais LTDA e a Terra Vista LTDA.

P: Existe limite de valor de compra dos créditos?

R: Não existe limite.

P: Vimos com outras empresas na Europa que também atuam como a MOSS, que os valores dos créditos de CO2 para ajuda de entidades socioambientais no Brasil são bem abaixo dos valores que a MOSS apresenta para suas entidades. Qual o motivo desta diferença?

R: O preço da plataforma MOSS é de varejo, esse preço que você vê na Europa é de atacado. Dependendo do volume abaixa bastante o preço. Cobrimos qualquer oferta da concorrência em preço, só nos comunicar volume e tipo de crédito e preço da concorrência que cobrimos, somos maiores e mais eficientes que qualquer um no mundo.

P: Em caso de crescimento acelerado de nossas “vendas/comercializações”, existirá algum perigo de “faltar créditos voluntários de CO2 da MOSS” para atender o projeto?

R: Não, somos os maiores do mundo, temos contrato de fornecimento de 20 milhões de toneladas, valor de mercado de US$ 360 milhões ou R$ 1,9 bilhões.

P: O governo brasileiro está regulamentando esta área de CO2 com um novo projeto. Existe alguma ameaça a essa modalidade de comercialização do crédito voluntário?

R: Não, o risco no voluntário é zero. Pra não dizer zero, se o governo brasileiro expropriar terras privadas, a la Coreia do Norte, poderia ser um problema para créditos FUTUROS. Os passados estão digitalmente registrados numa empresa da Califórnia e não tem esse risco.

blockchain, comprar crédito de carbono, crédito de carbono, créditos de carbono, MCO2 token, sustentabilidade, tecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *