Os impactos positivos do projeto Agrocortex

O projeto Agrocortex está prevenindo o desmatamento na Amazônia, ajudando na preservação da biodiversidade local, da fauna e dos recursos hídricos.

Você conhece o projeto Agrocortex? A MOSS é a maior plataforma ambiental do mundo e promove inovação, preservação das florestas e desenvolvimento econômico e social de regiões desassistidas por meio da venda de créditos de carbono. 

O objetivo da MOSS é enfrentar o aquecimento global e fomentar ações sustentáveis para garantir um planeta melhor para as próximas gerações. Para alcançar esses objetivos, a organização trabalha com uma plataforma de venda de créditos de carbono. 

Com o valor da compra dos créditos de carbono, vai diretamente para os projetos parceiros, viabilizando a manutenção da floresta e ajudando o desenvolvimento das comunidades ao redor dela. Com essas transações, é possível apoiar projetos como a Agrocortex para salvar a floresta Amazônica. 

Para entender melhor sobre o mercado de crédito de carbono e conferir o trabalho desenvolvido pela Agrocortex, leia o conteúdo até o final. 

O que é a MOSS e o mercado de crédito de carbono? 

A MOSS acredita que o impacto positivo na floresta Amazônica é apenas o começo de todo o bem que os créditos de carbono podem fazer pelo mundo. Por isso, desenvolveu uma plataforma de negociação de créditos de carbono. Ela pode ser utilizada por pessoas físicas e empresas. No caso das empresas, a MOSS oferece soluções e conselhos para que organizações minimizem seus impactos com a compra de compensações de carbono. 

Os créditos de carbono são representações que correspondem a uma tonelada de dióxido de carbono. Assim, essa medida serve para calcular a redução das emissões de gases de efeito estufa e possibilitar o seu valor de comercialização. 

O crédito de carbono é uma commodity, por isso, é negociado em dólares. Além disso, vale ressaltar que a MOSS não tem controle direto sobre o seu preço. Ou seja, os preços são definidos em mercados secundários. 

Os ativos são vendidos na plataforma e passam por processos rigorosos que seguem padrões internacionais. A certificação dos créditos selecionados pela MOSS segue o protocolo global VCS (Verified Carbon Standard), que garante o lastro dos créditos, a fim de evitar dupla contagem. 

Para a transação, a MOSS utiliza o MCO2 Token, o primeiro token de crédito de carbono com escala global, que oferece facilidade, transparência e segurança para a compensação de pegada de carbono. Por meio de compras de tokens MCO2, os clientes da MOSS já enviaram US$ 10 milhões em 8 meses para projetos de conservação da floresta Amazônica. Esse valor significa a preservação de, aproximadamente, 1 milhão de hectares.  

O que é a Agrocortex Madeiras do Acre?

A Agrocortex Madeiras do Acre é uma empresa do setor florestal brasileiro focada na sustentabilidade. Ela une a conservação ambiental, através do manejo florestal na Floresta Amazônica e a responsabilidade social, por meio da melhoria da qualidade de vida das pessoas da região em que o projeto está inserido.

O manejo florestal sustentável é uma forma de interagir com a floresta para extrair madeira. O objetivo é causar o mínimo de impacto à floresta e ajudar na conservação da mata e da biodiversidade local. Assim, podemos dizer que o manejo sustentável estimula o desenvolvimento da floresta. Estima-se que na área do projeto Agrocortex existam mais de 400 espécies de aves, o que representa cerca de 20% do total das espécies catalogadas no Brasil.

Criada em 2014, a Agrocortex está comprometida em gerir todas as atividades operacionais relativas ao manejo florestal e à industrialização na serraria. As atividades se dividem entre a Fazenda Seringal Novo Macapá, situada na divisa entre os estados do Acre e Amazonas, e sua indústria em Manoel Urbano/AC, a cidade mais próxima da fazenda. 

A empresa sustenta um dos maiores projetos de exploração florestal sustentável do Brasil voltado para a produção madeireira a longo prazo, baseado em práticas que respeitam o meio ambiente de modo a nunca exaurir os recursos naturais e ainda contribuir para que a floresta se regenere.

Além disso, é o único Plano de Manejo Florestal Sustentado (PMFS) no Brasil que é autorizado a explorar a espécie Swietenia macrophylla, King (Mogno) mediante conformidade com legislação específica e o acompanhamento por parte do Comitê Técnico Científico da CITES.

Qual o objetivo do projeto REED Agrocortex? 

O manejo sustentável é a solução para proteger as florestas que cobrem 96% do Acre.  Assim, o objetivo principal do Projeto REDD Agrocortex é evitar o desmatamento não planejado (AUD) da área do projeto de 186.369,66 ha. A estimativa é de redução das emissões anuais de 483.594 tCO2.  

A área do projeto está localizada dentro da Fazenda Seringal Novo Macapá, que está situada nos municípios de Manoel Urbano, Pauini e Boca do Acre, nos Estados do Acre e Amazonas, sudoeste da Amazônia. A propriedade está localizada no chamado “Arco do Desmatamento Amazônico”, pressionada por todos os lados pela pecuária, extração de madeira – legal e ilegal – e por rodovias. 

Além de contribuir para a conservação de longo prazo da região, o Projeto Agrocortex REDD também tem a função de estabelecer uma barreira contra o avanço do desmatamento, dando uma importante contribuição para a conservação da biodiversidade do sudoeste da Amazônia e também para a regulação do clima no Brasil e na América do Sul. 

Em 2020, o Agrocortex REDD Project foi o vencedor do prêmio Voluntary Carbon Market Rankings 2020, na categoria Melhor Projeto Individual de Compensação. “De 2014 a 2020, o projeto já evitou o desmatamento de 5.300 hectares de floresta. Além disso, gerou renda e emprego para uma das regiões mais pobres do Brasil”, explicou Marcos Pretto, CEO da Agrocortex. 

O Projeto Agrocortex REDD conta com certificações VCS, SocialCarbon e FSC® e 100% das vendas de créditos de carbono são reinvestidas no projeto. 

Quais as perspectivas para o futuro? 

Para que projetos como esse continuem existindo, é fundamental que as pessoas, empresas e governos se unam para aumentar, primeiramente, a conscientização sobre a importância da floresta e depois atraindo investimentos e incentivos que abarquem projetos como o da Agrocortex. 

Hoje, o Brasil certifica apenas 5 milhões de créditos por ano, mas tem potencial para certificar 1,5 bilhões. Se o preço dos créditos se aproximarem ao do valor atual europeu, isso pode resultar em 60 bilhões de dólares em exportações para a floresta Amazônica brasileira.

Portanto, projetos como o da Agrocortex geram inclusão social, desenvolvimento econômico, proteção florestal e compensação de carbono.  Se você ficou interessado por esse assunto e também quer ser um agente de mudança para ajudar esse e outros projetos, acesse nossa plataforma agora mesmo e cadastre-se!  

#ProjetoAgrocortex #MOSS #ImpactoAmbiental #CréditodeCarbono #Sustentabilidade  #PreservaçãodaAmazônia

amazonia, mco2, preservação, sustentabilidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *