Os impactos positivos do projeto Agrocortex

O projeto Agrocortex está prevenindo o desmatamento na Amazônia, ajudando na preservação da biodiversidade local, da fauna e dos recursos hídricos.

O que é a Agrocortex Madeiras do Acre?

A Agrocortex Madeiras do Acre é uma empresa do setor florestal brasileiro focada na sustentabilidade. Ela une a conservação ambiental, através do manejo florestal na Floresta Amazônica e a responsabilidade social, por meio da melhoria da qualidade de vida das pessoas da região em que o projeto está inserido.

O manejo florestal sustentável é uma forma de interagir com a floresta para extrair madeira. O objetivo é causar o mínimo de impacto à floresta e ajudar na conservação da mata e da biodiversidade local. Assim, podemos dizer que o manejo sustentável estimula o desenvolvimento da floresta. Estima-se que na área do projeto Agrocortex existam mais de 400 espécies de aves, o que representa cerca de 20% do total das espécies catalogadas no Brasil.

Iniciado em 2014, Agrocortex é um projeto de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD). Está localizado na divisa dos estados do Acre e do Amazonas. 

A área do projeto está localizada dentro da Fazenda Seringal Novo Amapá, que está situada entre os municípios de Manoel Urbano, Pauini e Boca do Acre, no sudoeste da Amazônia.

A região é ameaçada por estar localizada no chamado “Arco do Desmatamento”, área pressionada pela pecuária, extração de madeira e por rodovias.

A empresa sustenta um dos maiores projetos de exploração florestal sustentável do Brasil voltado para a produção madeireira a longo prazo, baseado em práticas que respeitam o meio ambiente de modo a nunca exaurir os recursos naturais e ainda contribuir para que a floresta se regenere.

Além disso, é o único Plano de Manejo Florestal Sustentado (PMFS) no Brasil que é autorizado a explorar a espécie Swietenia macrophylla, King (Mogno) mediante conformidade com legislação específica e o acompanhamento por parte do Comitê Técnico Científico da CITES.

Qual o objetivo do projeto REED Agrocortex? 

O Projeto Agrocortex foi criado visando a preservação da mata e da biodiversidade que cobre 96% do Acre. Assim, o projeto estima evitar a emissão de 483.594 toneladas de CO2 anuais. Será conservada uma área de 186.369,66 hectares, que possui rica biodiversidade.

A área do projeto está localizada dentro da Fazenda Seringal Novo Macapá, que está situada nos municípios de Manoel Urbano, Pauini e Boca do Acre, nos Estados do Acre e Amazonas, sudoeste da Amazônia.

A propriedade está localizada no chamado “Arco do Desmatamento Amazônico”, pressionada por todos os lados pela pecuária, extração de madeira – legal e ilegal – e por rodovias. 

Além de contribuir para a conservação de longo prazo da região, o Projeto Agrocortex REDD também tem a função de estabelecer uma barreira contra o avanço do desmatamento, dando uma importante contribuição para a conservação da biodiversidade do sudoeste da Amazônia e também para a regulação do clima no Brasil e na América do Sul. 

Em 2020, o Agrocortex REDD Project foi o vencedor do prêmio Voluntary Carbon Market Rankings 2020, na categoria Melhor Projeto Individual de Compensação. “De 2014 a 2020, o projeto já evitou o desmatamento de 5.300 hectares de floresta. Além disso, gerou renda e emprego para uma das regiões mais pobres do Brasil”, explicou Marcos Pretto, CEO da Agrocortex. 

O Projeto Agrocortex REDD conta com certificações VCS, SocialCarbon e FSC® e 100% das vendas de créditos de carbono são reinvestidas no projeto. 

O Projeto Agrocortex REDD está comprometido em estabelecer uma barreira contra o avanço do desmatamento, dando uma importante contribuição para a conservação da biodiversidade do sudoeste da Amazônia e também para a regulação do clima no Brasil e na América do Sul.

Ao preservar as atividades de subsistência local e buscar criar iniciativas para extrair madeira de forma não predatória, o projeto fomenta o manejo florestal sustentável na Floresta Amazônica e responsabilidade social. O que contribui para a preservação a longo prazo do meio ambiente.

Quais as perspectivas para o futuro? 

O projeto sustenta um dos maiores projetos de exploração florestal sustentável do Brasil, baseado em práticas que respeitam o meio ambiente de modo a nunca exaurir os recursos naturais, contribuindo para que a floresta se regenere.

Hoje, o Brasil certifica apenas 5 milhões de créditos por ano, mas tem potencial para certificar 1,5 bilhões. Se o preço dos créditos se aproximarem ao do valor atual europeu, isso pode resultar em 60 bilhões de dólares em exportações para a floresta Amazônica brasileira.

Assim, projetos como o do Agrocortex geram inclusão social, desenvolvimento econômico, proteção florestal e compensação de carbono.

amazonia, mco2, preservação, sustentabilidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *