A segurança da tecnologia blockchain

A segurança do blockchain

Entenda como funciona a tecnologia que está mudando o mundo dos negócios

O QUE É A TECNOLOGIA BLOCKCHAIN?

Blockchain é um sistema, em formato de cadeia de blocos, que permite a validação e verificação de uma informação. Comparando com o mundo físico, seria como um livro contábil, só que mais seguro, digital, transparente e descentralizado.

QUANDO SURGIU O BLOCKCHAIN?

A definição foi criada em 2008, em artigo de Satoshi Nakamoto (pseudônimo do criador do bitcoin). Essa tecnologia tornou a transação de criptomoedas possível. Posteriormente, a mesma tecnologia foi empregada em outros cripto ativos e, hoje, pode ser usada para validar e armazenar qualquer tipo de informação em rede. Aqui explicaremos, de forma mais básica e didática, o funcionamento dessa tecnologia. 

O artigo completo, em inglês, pode ser acessado aqui.

BLOCKCHAIN E BITCOIN SÃO AS MESMA COISA?

Não. Bitcoin é a criptomoeda e o blockchain é a tecnologia que garante a segurança e verificação das transações feitas com bitcoin, mas também com outros cripto ativos. A confusão é normal, pois a tecnologia foi implantada para permitir que as transações em bitcoin fossem possíveis.

COMO O SISTEMA BLOCKCHAIN FUNCIONA?

Imaginemos que você adquira o MCO2 Token e resolva vendê-lo em uma exchange como, por exemplo, o Mercado Bitcoin. Essa transação será representada por um bloco, que estará diretamente ligada a muitos outros blocos (que representam outras transações). Cada bloco contém informações, como data e hora da transação, e ganha um hash, que funciona como uma impressão digital.

Além das suas informações individuais, cada bloco está ligado ao bloco anterior, que possui um hash próprio, formando assim essa cadeia de blocos. Isso faz com que, na prática, nenhum bloco possa ser acessado individualmente, já que eles estão em cadeia e, qualquer alteração, nessa sequência, pode ser facilmente notada e defendida pelo sistema.

Outro ponto que torna a rede segura é o fato de ela ser totalmente descentralizada. Ao contrário de redes fechadas em uma organização ou em um governo central, a blockchain é uma rede descentralizada, onde cada minerador (pessoas que trabalham para manter essa cadeia de informações segura) tem uma cópia de toda a cadeia de informações. 

Uma invasão hacker ou ação de algum governo tirano são ineficazes contra a tecnologia, pois ela teria que ser feita em, pelo menos, mais de 50% da rede, que, como dissemos, é descentralizada. Qualquer novo bloco que é adicionado à rede, passa pelo processo de validação dos mineradores, que, por maioria simples, validam (ou não) a informação.

Daria para comparar a um livro contábil, porém tecnológico, gigantesco e transparente para o mundo todo. Isso também não significa que todo mundo vai poder ver os dados de sua transação. O que fica transparente são as verificações que o validaram, com informações como data e hora; dados pessoais, como o endereço de alguém, não aparecem. Os blocos verificados também são criptografados, o que os torna invioláveis. Não podem ser corrompidos, alterados ou apagados.

Por essas razões, a tecnologia blockchain vem sendo usada em cada vez mais negócios, além do bitcoin. É essa tecnologia que permite a segurança das transações de diversos cripto ativos no mundo inteiro, inclusive do MCO2 Token, o crédito de carbono vendido pela MOSS.

Recentemente, a segurança de nosso MCO2 Token foi auditada pela Certik, empresa especializada em segurança blockchain. A Certik foi pioneira no uso do processo de verificação formal em contratos inteligentes e blockchains. Isso significa que nosso token agora é comprovadamente seguro e livre de vulnerabilidades.

Se você quiser ajudar a salvar a Amazônia e ainda comprar um ativo perene e seguro com a tecnologia blockchain, é só adquirir o MCO2 Token, o crédito de carbono da MOSS. Se quiser ler mais sobre como adquirir esse ativo é só clicar aqui.

bitcoin, blockchain, carbon credit, comprar crédito de carbono, comprar créditos de carbono, crédito de carbono, criptomoedas, MCO2 token, moss, tech, tecnologia, tokenização

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *