Créditos de carbono: entenda o que são e como funcionam

Afinal, o que são créditos de carbono?

Um crédito de carbono é um certificado digital que prova que uma empresa ou um projeto ambiental (projetos de conservação de florestas, reflorestamento de áreas devastadas, energia limpa, biomassa, etc) evitou a emissão (poluição) de 1 tonelada de CO2 (dióxido de carbono) em um determinado ano. Ou seja, os créditos de carbono são ativos imateriais.

Alta credibilidade

Os créditos de carbono são auditados por instituições internacionais e registrados na Verra, uma fundação que regula o registro global de créditos voluntários, seguindo um rigoroso protocolo global.

Eternos (até serem consumidos)

Como já são certificados, os créditos de carbono do mercado voluntário duram para sempre até serem consumidos ou cancelados por alguém (ou uma empresa) que queira compensar as suas emissões de gases de efeito estufa.

Digital e dolarizado

Os créditos de carbono são ativos intangíveis (semelhantes a pontos de quilometragem ou marcas), portanto, são certificados digitais. A maioria dos créditos são negociados e cotados em dólares americanos.

CO2 = dióxido de carbono. Durante a fotossíntese, um processo no qual as plantas geram glicose (seu alimento), absorvem CO2 do ar e utilizam a energia solar através de suas folhas para decompor o CO2 (um átomo de carbono e dois átomos de oxigênio) e a água (ou H2O, dois hidrogênio e um átomo de oxigênio) absorvida por suas raízes e folhas. Assim, as plantas geram novas moléculas de glucose (C6H12O6) e utilizam-nas para gerar energia para crescer. Como resultado da fotossíntese, as plantas liberam O2 no ar, também vegetais e algas no oceano absorvem CO2 e liberam oxigênio (O2).

Entretanto, o desmatamento e os incêndios florestais dificultam esse processo. Quando queimamos ou derrubamos árvores, o CO2 é liberado para a atmosfera. O metano (CH4) também é liberado, um poderoso gás de efeito estufa que é até 30 vezes mais poluente do que o CO2. Além disso, a maior parte da nossa economia global baseia-se na geração de energia através da queima de combustíveis não renováveis (tais como petróleo, carvão e gás natural). Toda essa queima de combustíveis fósseis, que são essencialmente átomos de carbono, libera enormes quantidades de CO2 na atmosfera. O CO2 absorve o calor do sol, provocando o efeito estufa e o aquecimento do planeta.

Quando a presença de CO2 é superior ao normal no ar, o calor dos raios solares é absorvido pela atmosfera e o planeta fica mais quente. Em outras palavras, nossas emissões de gases de efeito estufa e nossa dependência de petróleo e carvão para nosso transporte e energia estão aquecendo o planeta e levando a mudanças climáticas drásticas.

Temos de colocar um preço nas emissões de carbono. É por isso que se chama crédito de carbono!

Qual é a diferença entre compensar as emissões de gases de efeito estufa e comprar créditos de carbono?

Os créditos de carbono funcionam de forma semelhante ao petróleo, barras de ouro ou diamantes. Suponha que você queria especular sobre petróleo ou ouro, mas não havia mercados de commodities para isso (tais como créditos de carbono e diamantes). Se você acha que petróleo ou ouro poderia subir de valor, mas que não havia mercado para investir na mercadoria, você compraria barris de petróleo, barras de ouro ou pedras de diamante e deixaria em casa, sentado no sofá, e esperaria.

Nem o petróleo, ouro e diamantes (e créditos de carbono) expiram ou apodrecem. Em teoria, você pode mantê-los para sempre em sua casa.

Vejamos a diferença que a compra e neutralização/ compensação de créditos de carbono pode fazer. Os residentes de uma grande cidade emitem em média 2 toneladas por ano. Os residentes de maior renda emitem cerca de 10 a 20 toneladas por ano, mas se alguém compra 400 dólares de créditos de carbono a 40 dólares por tonelada, eles compram 10 toneladas de créditos de carbono, ou o equivalente a 1 ano de emissões pessoais de gases de efeito estufa.

Há enormes vantagens nos créditos de carbono em relação ao ouro, diamante e petróleo: quando se compra petróleo o dinheiro está indiretamente financiando ditaduras no Oriente Médio, Venezuela ou Nigéria. Quando se compra diamantes e ouro, o dinheiro possivelmente vai para políticos corruptos da África e América Latina.

Entretanto, quando você compra créditos de carbono da floresta amazônica, seu dinheiro vai direta e indiretamente para gestores de projetos de conservação florestal, projetos de energia limpa e empresas ambientalmente conscientes que seguem padrões internacionais. Portanto, há um impacto social, comunitário e ambiental além da própria floresta.

crédito de carbono

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *